aNūüĆźWa

T O D O S O U ‚ôĺ UM : OM E S M O U T R O

Mês: agosto, 2016

Fluir para a Fonte em Si

zen

um dos belos e sagrados presentes…
que o mistério do amor pode nos proporcionar,
n√£o s√£o as ondas de paix√Ķes que nos fascinam,
mas o caminho do desapego, o lago sereno,
que nos conduz para o encontro¬†consigo mesmo…

no oceano transl√ļcido, que¬†transparece¬†paz.

An√ļncios

Coment√°rios sobre ora√ß√£o de Francisco de Assis

francisco de assis

‚Äú√Č dando que se recebe‚ÄĚ

Dar de coração é doar a verdade (aquilo que é) em si,

Ser o canal (a presença) por onde o amor flui e realiza.

‚ÄúSer filho de deus, pela presen√ßa do esp√≠rito santo‚ÄĚ.

E n√£o h√° expectativa de receber,

Uma vez que realizar esta legítima e divina atitude,

√Č ter aceito, recebido a verdade em si e manifestado o amor no cora√ß√£o,

E sentir-se em estado de graça e gratidão.

‚Äú√Č perdoando que se √© perdoado‚ÄĚ

Seja, realize aquilo que deseja ser em si: livre, em paz.

A realidade é aquela você que cria, muda e realiza: é aberta, fluida.

Ser o exemplo é a forma de ser aquilo que o sábio é: autoconsciente.

‚ÄúE √© morrendo que se vive para a vida eterna‚ÄĚ

√Č discernindo o ilus√≥rio/eg√≥ico (apegos, avers√Ķes, ignor√Ęncia) do verdadeiro/eu sou (desapego, compaix√£o e sabedoria).

Deixando aquilo que √© perec√≠vel, mut√°vel, ef√™mero…

Ou seja, desapegando e fluindo com aquilo que é vívido, presente, perene,

Que se vive naquilo que se renova (fonte em si), renasce (amor em si), que te transforma naquele que é (paz em si), a presença além de ti.

Ser livre é unir a inocência da criança com a sabedoria do ancião,

Integrar a passividade do feminino (lua) com a atividade do masculino (sol),

Realizar a s√≠ntese das diferentes dualidades em si, se autoconhecendo no viver e conviver √© ser aquele que √©: inteiro… harmonia inteiramente conectada com o todo.

Viver daquilo que traz paz √© superar diariamente aquilo que em n√≥s impede a paz

Agindo enfrento os medos,
Agindo supero em si obst√°culos,
Agindo aprendo com os erros,
Agindo e reagindo por diferentes recomeços.
Agindo posso encontrar a reação da minha verdadeira intenção.
Agir ciente da intenção,
Atravessando toda e qualquer negação,
Engendrada pelas vozes, vultos, medos, crenças e descrenças da egóica ilusão.
Sentir-se realizado com a inevit√°vel rea√ß√£o das minhas pr√≥prias a√ß√Ķes.
Fa√ßa e refa√ßa, estamos sempre na estrada da vida, basta pegarmos carona com a coragem, em companhia da humildade, pilotando o autoconhecimento…
Montado no automóvel invisível, intuitivo, que em si transparece
Que harmoniza a luz com as sombras,
Por vezes, nomeada de consci√™ncia…
Viva a autoconsci√™ncia… o portal para a consci√™ncia universal.

Ser livre, espont√Ęnea reciprocidade

borbo

respeito √© o limite¬†que liberta…
responsabilidade é o eterno caminho da liberdade.

Vida da Vida

Deixa ir
Deixa vir
Deixa ser
Deixa que a vida seja
A vida é
Somente esteja com ela

.

O verdadeiro

Presente da vida

√Č agora…

Agora existo

Sonho e realizo.

Autoconsciência é Universalizar

sonhar
o prop√≥sito √© “d√™ o seu melhor”…
dar aquilo que vivifica e revitaliza,
é inocência com sabedoria,
e se alguém não receber, dê a outro,
pois este ainda est√° se negando.
se alguém recebe mas não compartilha,
este ainda est√° se apegando.
mesmo assim o seu propósito está se realizando.
realize o propósito que é princípio,
s√£o diferentes desafios,
e s√£o diversas realiza√ß√Ķes,
mas serão sempre aquele propósito,
aberto, fluido, puro… o eterno princ√≠pio.

Vida – Harmonia Circular

meditacao

por ser aberta…
a fonte flui constantemente.
se estamos fechados
o que é vívido está fora
a vida passa no exterior
feito um teatro itinerante.
ao sermos abertos…
a vida passa por dentro
o vívido flui no interior
e conflu√≠mos…
sem mais dualidades
feito contemplação e desapego,
exalando o essencial amor.

√Č abstrata a realidade √ļltima

milky-way-man

é o medo e não ódio,
o oposto do amor.
o medo nos leva ao apego.
e é no desapego que o amor existe,
esta fluidez que a nada resiste…
e conflui com tudo o que é vívido,
fluido eterno e infinito…
por qualquer finito e efêmera realidade,
a mais pura verdade:
o vazio, o todo, o princípio.

Pura-mente Vazio

im√£

no silêncio há paz.
na toler√Ęncia h√° paz.
na paciência há paz.
na presença há paz.
em si h√° paz…
quando desapego do ego.
paz é equilibrar-se:
“alegria sem euforia e
tristeza sem depress√£o”.