Um Sol Coração

Onde a vida está? Onde tu és?

Dragonfly: Metamorfoses do Amor

raining-by-shikhei

em sincronia ao meio-dia:

eu vi ali… e li a bela…

aquela fábula etérea.

da aquática larva ao ser alado

bioindicadora e caçadora.

entre água e ar…

o mais veloz inseto

livro aberto

paira em pleno voo

visão do todo.

para a libélula

entre céu e terra

é ser em si… o fogo.

Antídotos para o absurdo

cor

aceitar a imperfeição de nossa existência…

é uma valiosa forma de desilusão

de encontro consigo mesmo

de abertura para o verdadeiro ser

e um despertar para a gratidão, perdão e compaixão.

gratidão: princípio fluidor e mantenedor do amor no ser.

perdão: portal para retornar ao presente, na presença do ser amor.

compaixão: realizador e multiplicador do amor em si e no todo. é compartilhar a dor e alegria com amor, por ser curador.

Eu e meu codinome SomosUmOutro: Todo

eclipse

anovamente

é para ser aquele

que me leva e eleva

ao novo e de novo diferente

aquele que diz:

em frente, entre, enfrente! ente! enfrente-se de frente…

mas hoje por significativa coincidência

olhei diferente novamente…

anovamente me leva também ao “anonimato”.

anovamente é a continuação

de meu primeiro nome: adriAnovamente

e o adriano que aqui escreve

tem o sobrenome francisco

que por sinal, tenho algo de franciscano

e também tenho o sobrenome woellner

germânico por parte de pai.

o codinome veio antes

de me tornar pai, talvez por isso

esteja repensando a história e significado

do anovamente.

pois com família e uma filha…

natural e propositalmente

a vida nos convida a elevar

e a enraizar a própria existência.

enfim, o ovo partiu ao meio…

e reconheço meu novo recomeço

repetidamente expandindo a consciência

para tornar-se além de mim – o si mesmo.

Arvorecer enraizando…

Copyrighted Aad van Haaster

na árvore da vida

a tríade divina…

é semente, flor e fruto.

do fruto o suco

da flor o perfume

da semente o alimento.