Um Sol Coração

Onde a vida está? Onde tu és?

Terminar a existência e ser vivo…

nascer-de-novo-do-ovo

o que somos? e o que queremos ser?

e depois de sairmos daqui, a lembrança de nós, será morta ou viva?

o fruto que ao fim, somente caiu do pé e pereceu?

ou fruto que ao doar-se, nutriu aquilo que é vivo e ascendeu?

aquele que deixa esse mundo…

pode ter deixado/doado suas qualidades, valores, virtudes, sua seiva

e ter semeado o legado de um nobre fruto, de um alimento que dá vida e novos frutos…

ou ser um fruto oco que esteve o tempo todo apegado ao galho do tronco

por medo de ser aquele que é (o ser eterno além do ego) termina perdido no jogo…

pois a fonte do jogador desliga inevitavelmente o efêmero ego e o veículo corpo.

sem enraizar-se e elevar-se na árvore da vida

sem fluir com a seiva, sem florescer e frutificar seu alimento vivo…

que habita o coração de nosso coração, o essencial amor divino

simplesmente consumimos aquilo que desaparece no tempo

e terminamos consumidos e consumados.

sem nascer/despertar para o vívido, para o legítimo em nós…

não ser aquele que somos, um com o todo, não existimos.

existir é sermos sementes que fazem da gente, seres perenes…

durante e depois de termos aqui existido… somos eterno princípio.

ascender é realizar no tempo a essência do eterno-infinito.

é tempo de revelar-se multidimensional, sendo aqui e agora o atemporal

despindo-se de suas embalagens, bagagens, máscaras, falsidades, miragens

e vir-a-ser ao natural, tua versão original.

Que Si, seja.

dragonfly

que seja suave borboleta

que seja libélula guerreira

seja águia ou beija-flor…

seja aquele que é: amor.