Um Sol Coração

Onde a vida está? Onde tu és?

Mês: novembro, 2016

Sobre o Caminho do Meio, a Sinergia.

roseira

“‘Deus é que faz as rosas. E outros respondem: Não, não é Deus, é a roseira.’ Há pessoas que o vêem em toda parte e há outras que não o veem em lugar algum. É necessário que se vejam juntos, Deus e a roseira que cuida das rosas, porque a verdade é que não haveriam rosas se não houvesse chuva, se não houvesse vida,  se o Ser não comunicasse vida à natureza. E, ao mesmo tempo, a qualidade da rosa depende do modo como a roseira cuida dela e se eu não cultivo a minha roseira ela não dará belas rosas.

Conforme Inácio Loyola “Faça tudo o que você tem a fazer como se tudo dependesse unicamente de você e, ao mesmo tempo, como se o resultado dependesse unicamente de Deus.

“Há, portanto, uma sinergia. A questão é ser verdadeiramente responsável pelo que fazemos, utilizarmos nossa vontade e nossa razão fazendo as coisas o melhor possível mas, ao mesmo tempo, sabendo que o resultado não depende de nós.” Jean-Yves Leloup – Caminhos da Realização

Integrar o coração que confia e crê à razão que procura compreender.

Consciência de Si – do ser, viver e morrer.

axis_mundi_root

A morte é a curva da estrada. Morrer é só não ser visto…” Fernando Pessoa

Labirinto não é uma reta, mas uma espiral, plena de curvas. Às vezes, estamos tão próximos do centro… e a curva nos leva para longe. Às vezes, estamos tão distantes do centro e outra curva dele nos aproxima”. O processo de individuação, apontado por C.G. Jung como uma circunvolução em torno do Self.” Roberto Crema – Normose

“A única certeza é a transformação”

fibonacci-spirals

o caracol e as galáxias

seguem a lei da espiral.

o labirinto existencial…

encontra sentido e saída (ou reencontro?)

na espiral consciencial.

consciência de si

é libertar-se.

Mudar o olhar é mudar o mundo

bor

a borboleta nasce do casulo?

nasce da lagarta? ou nasce do ser em si?

paciência e confiança na autotransformação

são passos do caminho para voar leve e livremente.

vivemos em tempo e mundo…

onde estamos fadados a rastejar

para se conquistar a verdade, a libertação.

o passo adiante neste drama, neste mito pessoal…

é aceitar a própria condição humana

e voltar-se para dentro

para que após uma grande investigação

um intensivo discernimento 

possamos realizar a revolução do amor

voar legitimamente, deixando para trás

o estado de ilusão, a vítima da própria negação.

amor é a força que acolhe e desapega, é doação… por gratidão.

​”Vá em direção a você mesmo. Eu estou com você no caminho.”

Na escuta de seu coração

Na confiança do ser que é em ti.

E neste estado de abertura

O todo é tudo o que há

E estará com ele

Será uno com ele

Será aquele que é.

E assim é.

Talvez não seja preciso mudar o mundo, mas seja preciso mudar o olhar. Aquele que muda de olhar, muda de mundo.” Jean-Yves Leloup

Cápsula)Colapso)Catapulta

fb_img_1479603211910Voltar-se para dentro e sair comigo…

Dragonfly: Metamorfoses do Amor

raining-by-shikhei

em sincronia ao meio-dia:

eu vi ali… e li a bela…

aquela fábula etérea.

da aquática larva ao ser alado

bioindicadora e caçadora.

entre água e ar…

o mais veloz inseto

livro aberto

paira em pleno voo

visão do todo.

para a libélula

entre céu e terra

é ser em si… o fogo.

Antídotos para o absurdo

cor

aceitar a imperfeição de nossa existência…

é uma valiosa forma de desilusão

de encontro consigo mesmo

de abertura para o verdadeiro ser

e um despertar para a gratidão, perdão e compaixão.

gratidão: princípio fluidor e mantenedor do amor no ser.

perdão: portal para retornar ao presente, na presença do ser amor.

compaixão: realizador e multiplicador do amor em si e no todo. é compartilhar a dor e alegria com amor, por ser curador.

Eu e meu codinome SomosUmOutro: Todo

eclipse

anovamente

é para ser aquele

que me leva e eleva

ao novo e de novo diferente

aquele que diz:

em frente, entre, enfrente! ente! enfrente-se de frente…

mas hoje por significativa coincidência

olhei diferente novamente…

anovamente me leva também ao “anonimato”.

anovamente é a continuação

de meu primeiro nome: adriAnovamente

e o adriano que aqui escreve

tem o sobrenome francisco

que por sinal, tenho algo de franciscano

e também tenho o sobrenome woellner

germânico por parte de pai.

o codinome veio antes

de me tornar pai, talvez por isso

esteja repensando a história e significado

do anovamente.

pois com família e uma filha…

natural e propositalmente

a vida nos convida a elevar

e a enraizar a própria existência.

enfim, o ovo partiu ao meio…

e reconheço meu novo recomeço

repetidamente expandindo a consciência

para tornar-se além de mim – o si mesmo.

Arvorecer enraizando…

Copyrighted Aad van Haaster

na árvore da vida

a tríade divina…

é semente, flor e fruto.

do fruto o suco

da flor o perfume

da semente o alimento.