Aos que perderam a memória…

por AnovaMente

gratidao

A ingratidão é um véu virulento e venenoso…

Que habita a alma… do vitimizado e orgulhoso que culpabiliza a tudo e a todos…

É um padrão negativo de crença, um pensamento condicionado, um sentimento poluído, uma negação daquilo que vivifica a vida e que dá vida a si mesmo.

“O ingrato é alguém que enlouquece a longo prazo…” e que envenena aos outros a todo momento.

“Dizem que os ingratos perdem a memória…” e perdem o respeito, perdem o presente do presente momento e se apegam às sombras de um passado obscuro que dilacera o futuro… para terem a certeza de que tem razão (sendo saudável ou não), o ego inflado e inflamado os tornam cegos… em meio a “claridão” calorosa do verão.

O ingrato adoeceu e não cedeu a cura… tem sede mais nega-se a beber, tem fome mas cospe no prato que come, o ingrato corre da gratidão para pagar caro por algo que é gratuito, pois caiu em tentação e desistiu de tentar de novo, repetindo e fixando sua negação… a realidade tornou-se um mar de ilusão, revirada em ondas violentas na rebentação que tomou seu coração perdido numa pequena e desgovernada embarcação… o céu fica escuro com as densas nuvens negras de rancor, orgulho, solidão e tristeza.

Mas dissolver o véu é possível… tudo é possível com a fonte infinita de possibilidades… reconhecendo o céu azul que a nossa criança na infância trouxe e desenhou… pois ela ainda está lá, aqui, em nossos corações… ela é pura, inocente e benevolente… ela nos inspira alegria, leveza, com espontaneidade e liberdade… inspira a viver o sonho com a compaixão, de mãos dadas com a tal essência perfumada da criação… a gratidão.

Se está sem motivos para ter gratidão, lembre-se do sopro que nos inspira e assim realizamos a respiração… ou quando olhar para o relógio, lembre-se de dar um sorriso pois ainda se está vivo.

E de coração… gratidão por você compartilhar o teu olhar comigo.

Anúncios