Um Sol Coração

Onde a vida está? Onde tu és?

Mês: fevereiro, 2017

Acenda e Ascenda

 

naturalmente a vida vela e revela…

inevitavelmente velamos… e é preciso desvelar.

acenda a vela… que ilumina o nosso sagrado íntimo

que aos poucos dissolve aquilo que é ínfimo

e ascende a nossa consciência ao universal.

a infinitude numa atitude de entrega e reconexão…

eis a alquimia para se obter a pedra filosofal

a realização do amor incondicional.

Curando (Osho Zen Tarot)

“Este é um tempo em que as feridas do passado profundamente enterradas afloram para ser curadas.

A figura desta carta apresenta-se nua, vulnerável, receptiva para o toque amoroso da existência. A aura que lhe envolve o corpo está cheia de luz, e o clima à sua volta, de relaxamento, cuidado e de amor, está dissolvendo sua tensão e sofrimento. Vários lótus de luz aparecem sobre o seu corpo físico, e por todos os corpos de energia sutil, que os que curam dizem existir em torno de cada um de nós. Em cada uma dessas camadas sutis aparece um cristal ou modelo de cura.

Quando nos encontramos sob a influência de cura do Rei da Água, já não estamos mais nos escondendo de nós mesmos, nem dos outros. Nessa atitude de abertura e de aceitação poderemos ser curados, e ajudar outros a serem também saudáveis e inteiros.”

Fonte: http://www.osho.com/pt/iosho/zen-tarot/paradox/

Livre-se do inimigo em Si

how-magicians-write-como-os-magos-escrevem

ao esquecer da gratidão

vai acordar a insatisfação.

ao esquecer do perdão

vai acordar a aflição.

ao esquecer da compaixão

vai acordar a solidão.

ao esquecer da paz

vai acordar a guerra e cair na prisão.

sua vida estará em crise, em conflito…

por deixar de ser aquele que é: todo presente.

Guia-me Águia

aguiass

por vezes, num escuro…

seco, frio e apertado casulo.

noutras, num terreno rubro…

arenoso, incerto, estranho, inseguro.

mas mais uma vez, respiro ao ar puro…

que oxigena a alma e o ser ainda imaturo.

há de vir o novo, ah o voo…

há luz, luz que cura mesmo que obscura

e lembre-se que é no ovo que se nasce o voo…

o voo da ave… que transcende suas incontáveis penas.

depois da raivosa chuva… o silêncio sopra as plumas.

Quando falta-me sentido, imagino borboletas.

borboletasss

“As Borboletas” por Vinicius de Moraes

Brancas
Azuis
Amarelas
E pretas
Brincam
Na luz
As belas
Borboletas.

Borboletas brancas
São alegres e francas.

Borboletas azuis
Gostam muito de luz.

As amarelinhas
São tão bonitinhas!

E as pretas, então…

Oh, que escuridão!

Isolamento Glacial (Osho Zen Tarot)

 

“Em nossa sociedade, principalmente os homens têm sido ensinados a não chorar, a armar uma fachada de valentia quando são atingidos, e a não demonstrar que estão sofrendo. Mas as mulheres também podem cair nessa armadilha, e todos nós poderemos sentir vez por outra, que a única maneira de sobreviver é reprimir nossos sentimentos e emoções, de forma a que não nos possam ferir outra vez. Se a dor for especialmente profunda, poderemos até mesmo tentar escondê-la de nós mesmos.

Isso poderá nos tornar gélidos, rígidos, porque lá no fundo sabemos que uma pequena fenda no gelo libertará a dor para que comece a circular outra vez dentro de nós.

As lágrimas com as cores do arco-íris no rosto desta figura encerram o segredo de como se libertar desse “isolamento glacial”. As lágrimas, e apenas elas, têm o poder de derreter o gelo.

Chorar é bom, e não há motivos para envergonhar-se de suas lágrimas. O choro nos ajuda a fazer passar a dor, permite-nos ter consideração por nós mesmos e, afinal, ajuda-nos na cura de nós mesmos.”

Fonte: http://www.osho.com/pt/iosho/zen-tarot/paradox/

Crie asas ao Recriar-se.

borboleta-2

Somos o que Doamos

butterfly

ser legítimo é estar em si

estar em si é ser altruísta/compassivo

ser grato é estar em si

estar em si é ser humilde/simples

ser espontâneo é estar em si

estar em si é ser generoso/solidário

ser sábio é estar em si

estar em si é ser confiante/perseverante

ser paciente é estar em si

estar em si é ser tranquilo/tolerante

ser feliz é estar em si

estar em si é ser íntegro/livre

silencie, confie, se entregue e encontre-se.

Deixando Ir (Osho Zen Tarot)

“Nesta imagem de folhas de lótus ao amanhecer podemos ver, pela ondulação da água, que uma gota acabou de cair. É um momento precioso, pungente. Ao render-se à força da gravidade escorregando da folha, a gota perde a sua identidade anterior e junta-se à vastidão da água que está embaixo. Podemos imaginar que ela deva ter vacilado antes de cair, na exata fronteira entre o conhecido e o incognoscível.

Tirar esta carta em uma leitura é o reconhecimento de que alguma coisa acabou, de que algo está se completando. Seja o que for – um emprego, um relacionamento, um lar que você amou, qualquer coisa que possa tê-lo ajudado a definir quem você é – é hora de deixar isso para trás, permitindo qualquer tristeza que surja, mas sem tentar se agarrar ao que se completou. Alguma coisa maior está esperando por você: há novas dimensões a serem descobertas. Você ultrapassou o ponto a partir do qual não há volta, e a gravidade está cumprindo a sua função. Não resista: isso significa libertação.”

Fonte: http://www.osho.com/pt/iosho/zen-tarot/paradox/

Criatividade (Osho Zen Tarot)

“A partir da alquimia de fogo e água na parte de baixo, até a luz divina que entra pela parte de cima, a figura desta carta está literalmente “possuída” pela força criativa. Realmente, a experiência da criatividade é um mergulho no misterioso. Técnica, treinamento e conhecimento são apenas instrumentos; o segredo é abandonar-se à energia que alimenta o nascimento de todas as coisas.

Essa energia não tem forma nem estrutura e, no entanto, todas as formas e estruturas nascem dela. Pouco importa a forma de expressão particular que a sua criatividade assuma – pode ser a pintura ou o canto, o plantio de um jardim ou a preparação de uma refeição. O importante é estar aberto para aquilo que quer se expressar por seu intermédio. Lembre-se de que não somos donos das nossas criações – elas não nos pertencem.

A criatividade verdadeira nasce de uma união com o divino, com o místico e com o incognoscível. Daí ser ela tanto uma alegria para quem cria, quanto uma bênção para os demais.”

Fonte: http://www.osho.com/pt/iosho/zen-tarot/paradox/