Conto Zen: O monge e o escorpião

por a n➐w ame n t e

Um monge e seus discípulos caminhavam pela estrada. 

Quando passavam uma ponte, viram um escorpião sendo levado pelas águas. 

O monge correu até a margem do rio e pegou o escorpião com a mão para que pudesse colocá-lo na margem do rio, em segurança. Contudo, o animal picou ferozmente a mão do monge, que abriu a mão, gemendo e chorando de dor, deixando o escorpião cair nas águas novamente.

Mais uma vez, tornou a pegar o escorpião, agora com um galho que estava na beira do rio. Colocou-o na margem, em cima de uma pedra, e voltou para junto dos seus discípulos.

Eles haviam assistido a cena e o receberam perplexos. 

“Mestre, deve estar doendo muito! Porque foi salvar esse bicho ruim e venenoso? Que se afogasse! Seria um a menos! Veja como ele respondeu à sua ajuda! Picou a mão que o salvara! Não merecia sua compaixão!”

O monge ouviu tranquilamente os comentários e respondeu: “Ele agiu conforme sua natureza, e eu de acordo com a minha.”

Anúncios