Conto Zen: O tesouro em casa

por a n➐w ame n t e

Um dia, um jovem chamado Yang Fu deixou sua família e lar para ir a Sze-Chuan visitar o Bodhisattva Wu-Ji. Ele sonhou que junto àquele mestre poderia encontrar um grande tesouro de sabedoria. Quando já se encontrava às portas da cidade, após uma longa viajem cheia de aventuras, encontrou um velho senhor.

Este lhe perguntou:

“Onde vais, jovem?”

“Vou estudar com Wu-Ji, o Bodhisattva.” – respondeu o rapaz.

“Em vez de buscar um Bodhisattva, é mais maravilhoso encontrar Buddha.”

Excitado com a perspectiva de encontrar o Grande Mestre, disse Yang Fu:

“Oh! Sabes onde encontrá-lo?!”

“Voltes para casa agora mesmo. Quando lá chegares, encontrarás uma pessoa usando uma manta e chinelos trocados, que lhe cumprimentará. Essa pessoa é o Buddha.”

O rapaz pensou, aterrado:

“Como posso retornar agora, quando estou às portas do meu objetivo? Eu teria que confiar muito no que este simples velho me diz”.

Então Yang Fu teve uma forte intuição de que aquele simples homem à sua frente era alguém de grande sabedoria. Num impulso, voltou-se para a estrada, sem jamais ter encontrado Wu-Ji. Ele retornou o mais rápido que pode, ansioso pela vontade de encontrar Buddha. Chegou em casa tarde da noite, e sua amorosa mãe, em meio à alegria e pressa de abraçar o filho que retornava ao lar, cobriu-se de uma manta usada e calçou seus chinelos trocados.

Olhando para sua mãe desse modo, que vinha sorrindo e pronta a abraçá-lo, Yang Fu atingiu o *Satori. Este era o maior tesouro.

*Satori: iluminação, compreensão.

Anúncios