Conto Zen: Uma vida inútil?

por a n➐w ame n t e

Um bondoso fazendeiro tornou-se velho demais para poder trabalhar nos campos. Assim ele passava seus dias apenas sentado na varanda, feliz em observar a natureza. Seu filho era uma pessoa insensível e ambiciosa que não gostava de dar duro. Mas, ainda trabalhando na fazenda, podia observar seu pai de vez em quando ao longe.

“Ele é inútil,” o filho falou para si mesmo, agastado, “ele não faz nada!”

Um dia o filho ficou tão frustado por ver seu pai numa vida que ele considerava absurda, que construiu um caixão de madeira, arrastou-o até a varanda e disse insensivelmente para o seu pai entrar nele. Sem dizer uma palavra, o pai deitou-se no caixão. Após fechar a tampa, o filho arrastou o caixão até as fronteiras da fazenda onde existia um grande abismo. Quando ele se aproximou da beira, ouviu uma suave batida na tampa, de dentro do caixão. Ele abriu-o. Ainda deitado lá pacificamente, o pai olhou para seu filho.

“Sei que você vai lançar-me no abismo, mas antes de fazer isso posso lhe sugerir uma coisa?”

“O que é?” disse o filho, confuso e algo constrangido por ver seu pai tão calmo.

“Lance-me ao abismo, se quiser,” disse o pai, “mas salve este bom caixão de madeira. Seus filhos podem querer usá-lo um dia com você…”

Anúncios