Um Sol Coração

Onde a vida está? Onde tu és?

Mês: junho, 2017

Nada para para Nada

fácil seria ser inércia…

fóssil será ser inerte…

fato é ser fluidez…

Seja bem-vivo

entre

tudo

e

nada

o

todo.

entre

agora

em

si

onde

se

existe

sempre.

 

*Imagem: Capa do disco “A Sinfonia de Tudo que Há” – Fresno

Ser à Ser

oceânico

rio-à-mar

com a fonte

sob o lago

água fluente

Conto Zen: A Sábia Iluminada

Perto do templo onde vivia o mestre Hakuin, morava uma jovem com seu pai. Seu nome era Osatsu, e embora segunda a tradição japonesa ela estivesse em idade para casar, por mais que seu pai insistisse ela não queria fazê-lo, preferindo estudar os Sutras.

Certo dia, após ler um Sutra, atirou o livro para cima de uma mesa e sentou-se em cima dele, dando gostosas gargalhadas. Assustado, seu pai foi ver Hakuin em busca de conselhos. O mestre resolveu ir falar com a menina. Ao ver Hakuin chegar ela sorriu e sentou-se à sua frente.

“Disseram-me que sentastes em cima de um Sutra”, perguntou o mestre.

“Sim”, respondeu a mulher, “pois sou mais digna de respeito do que um simples livro de sutras.”

Hakuin olhou-a e disse:

“Nesse caso é melhor ir para o templo e não mais ficar em casa”. A partir deste dia Osatsu praticou o Zen sob a orientação de Hakuin. Depois de algum tempo, seguindo os conselhos do mestre, ela casou-se e teve filhos, ainda que continuasse a praticar o Zen. Quando ficou mais velha, ela teve netos, os quais amava muito. Já então era considerada uma sábia mestra.

Um dia aconteceu de um de seus jovens netos adoecer e morrer. No dia do funeral, Osatsu abraçou o esquife, e chorou muito. Um dos presentes, estranhando o fato, disse-lhe:

“Então, embora sejas Iluminada pela Sabedoria, sofres mais do que nós?”

“Eu amava muito este meu neto!” disse simplesmente a sábia Osatsu, entre lágrimas.

Koan: O sentimento jamais abandona o sábio. Qual é o segredo do amor sem apegos?

Certa inCerteza

se o autoconhecimento

se automatizar…

será desconhecimento

encadear em si mesmo.

conhecer é atravessar ao se atravessar…

e deixar para traz o atravessado…

elevar… levar adiante o transformado… transformando…

e incertamente tornar a atravessar…

o todo é um… atravessamento… 

o caos, a graça, o absurdo, a paz…

a incerteza é certa, inesperadamente certeira…

Está morto, quem matou a sua criança.

o sorriso foi enterrado embaixo de uma casa vazia…

desenterrando o riso… numa casa vizinha…

a gargalhada ressoou… na criança renascida…

a v i D A M A g i a

wiccan_star_and_butterflies

“A transformação literalmente significa ir além da sua forma”. Wayne Dyer

é certamente incerta

e conhecidamente desconhecida

nesta permanente impermanência…

mudamos inevitavelmente…

e a solução indissolúvel…

a energia essencial do ser…

é feita mágica fé…

o mistério dos ventos

a força do moinho

a verdade do caminho…

“O mistério da vida não é um problema para ser resolvido mas uma realidade a ser experienciada.” Aart Van Der Leeuw

Absurda Aceitação

catarina

perfeição…

feito imperfeito

caído, abismos e picos

aperfeiçoando-se

ao princípio retornando

perfeição…

Conto Zen: Além do Vazio

Certa vez um monge perguntou a Li-chan:

“Se todas as coisas se reduzem em última análise ao Vazio, este a quê se reduzirá?”

Respondeu o mestre:

“Minha língua é curta demais para vos explicar.”

“E por que vossa língua é tão curta?” perguntou o monge, intrigado.

“No interior e no exterior ela é da mesma vazia natureza.” Disse o mestre.

Catapultara-me

por vezes, voltar atrás…

é tomar impulso para o pulsar da vida…

ver á frente… seguir em frente com todas as forças…

sair do poço, pisar na poça, saltar mais alto…

ao enfrentar a própria ignorância…

entre apego e aversão… em si o ser ancião…