Um Sol Coração

Onde a vida está? Onde tu és?

Chave? Há Chave? Qual É?

 

“É a chave que abre a porta

Lá do quarto dos segredos

Vem mostrar que nunca é tarde

Vem provar que é sempre cedo

E que pra todo pecado sempre existe um perdão

Não tem certo nem errado

Todo mundo tem razão

E que o ponto de vista

É que é o ponto da questão

Que luz é essa que vem chegando lá do céu?”

Somos o Mistério, a Chave e as Fechaduras…

O segredo não mais tão secreto…

É que somente por dentro abrem-se as fechaduras… das portas da percepção…

Mas qual é a tua chave, a chave da vida? E como se abre?

É uma questão universalMente individual… é o propósito-desafio do caminho…

É solução e dissolução… a chave da libertação…

Amar é uma poção mágica feita a nossa maneira… feita de Amor em Ação…

 

Trecho da canção “Que luz é essa?” de Raul Seixas

* Ilustração de Alice De Ste Croix

Publicidade

Amor?

Ele É.

E nós

Laços.

Agora é Todo em Si

o presente

n ã o passa d o

futuro.

“Amar… apesar de tudo.”

Encontrar no outro… Aquele que É em Si…

Encontrar em Si… Aquele que É no outro…

Ser no Convívio… Viver a vida como um encontro de vidas em constante e renovável expansão…

Por um são coração… o céu coração… o presente na presença, no sopro que nos respira… no encontro somos o todo… laços entrelaçados… da contínua Criação… ao dar as mãos somos Um solidário coração…

Ao sermos solidários… não somos mais solitários… somos enfim Amor sem fim…

“Ninguém transforma ninguém, ninguém se transforma sozinho. Ninguém liberta ninguém, ninguém se liberta sozinho. Nós nos transformamos, nós libertamos, no Encontro”. Roberto Crema

“A verdade sem amor é inquisição e o amor sem verdade é permissividade.” Jean Yves Leloup

Troca de Olhares

Conviver é um convite ao olhar…

Olhar e ver-se, se olhar e ver outrem…

A mistura e versos…

Do que eu vi e agora outro, vê…

Ver convicto de que são olhares…

Pontos de vista, vistas do ponto…

Golpes de vista, encontros no olhar…

E quem sabe, ser visão…

Quem se reconhece é visão…

A visão que permanece mudando…

Impermanente obSERvador que em nós habita…

E é o que ele É…

 

“A janela não olha. Quem olha é o olho, através da janela.” Antônio Cícero

“Você está no olho do outro.” Marieta Severo

 

* Imagem do Filme “O Universo no Olhar” (I Origins)

* Citações do documentário “Janela da Alma”

Medo do escuro ou medo da luz?

por vezes, o medo da luz… é justamente o medo de se reconhecer sombrio… é estar assombrado… temendo o que há no escuro…

a luz dissipa a sombra… desnuda, revela o que somos… (e o que somos?)

ir em direção a luz… é olhar a sombra que projetamos… ver aquilo que em nós ocultamos…

é claro que há um desconhecido em nós… (o que, quem és tu?)

somos a herança de incontáveis gerações de antepassados… estamos aqui feito o resultado de um legado que pouco conhecemos… está no dna, nos hábitos, no inconsciente, nos registros do tempo e na consciência…

por isso o autoconhecimento é conhecer a vida, o mundo, o universo… nas entranhas, nos meandros, no poço abissal, no labirinto da mente, na profundidade do coração, na carne, osso e na fonte do ser… estão tantas respostas e mais importante, o sentido… pois respostas sempre haverão, assim como perguntas… mas o sentido, o centro da bússola que encontra a direção… faz-se necessário para a escolha de cada passo no caminho…

o caminho é o que vale, é o vale e o elevado abismo… é o deserto que venta, o rio que corre, o mar que bate e silencia… é lagarta que transmuta… a semente que transforma-se na árvore da vida…

encontrar a luz é ao mesmo tempo dar à luz… erguer e atravessar a ponte em si… girar a chave e abrir-se para este essencialmente palpável… o visivelmente invisível… nada onde tudo há e todo é… abrir-se para o mistério que revela-se ocultando e oculta revelando-se… entregar-se para a aceitação… do precioso presente que somos…