Medo do escuro ou medo da luz?

por EM SI: LUGAR DE GRAÇA

por vezes, o medo da luz… é justamente o medo de se reconhecer sombrio… é estar assombrado… temendo o que há no escuro…

a luz dissipa a sombra… desnuda, revela o que somos… (e o que somos?)

ir em direção a luz… é olhar a sombra que projetamos… ver aquilo que em nós ocultamos…

é claro que há um desconhecido em nós… (o que, quem és tu?)

somos a herança de incontáveis gerações de antepassados… estamos aqui feito o resultado de um legado que pouco conhecemos… está no dna, nos hábitos, no inconsciente, nos registros do tempo e na consciência…

por isso o autoconhecimento é conhecer a vida, o mundo, o universo… nas entranhas, nos meandros, no poço abissal, no labirinto da mente, na profundidade do coração, na carne, osso e na fonte do ser… estão tantas respostas e mais importante, o sentido… pois respostas sempre haverão, assim como perguntas… mas o sentido, o centro da bússola que encontra a direção… faz-se necessário para a escolha de cada passo no caminho…

o caminho é o que vale, é o vale e o elevado abismo… é o deserto que venta, o rio que corre, o mar que bate e silencia… é lagarta que transmuta… a semente que transforma-se na árvore da vida…

encontrar a luz é ao mesmo tempo dar à luz… erguer e atravessar a ponte em si… girar a chave e abrir-se para este essencialmente palpável… o visivelmente invisível… nada onde tudo há e todo é… abrir-se para o mistério que revela-se ocultando e oculta revelando-se… entregar-se para a aceitação… do precioso presente que somos…