Conto Zen: Vento

por EM SI: LUGAR DE GRAÇA

Certa tarde de outono, o mestre Ikyyu vagueava pelos campos, levando consigo uma flauta de bambu. Um eremita, ao vê-lo perguntou:

– Quem és tu?

– Sou um peregrino que segue para onde sopra o vento.

Tencionando pô-lo em apuros o eremita perguntou:

– E quando o vento não sopra?

– Então sopro eu – respondeu Ikyyu, começando a soprar na sua flauta.