Um Sol Coração

Onde a vida está? Onde tu és?

Mês: maio, 2018

Procure se Encontrando

_DSC4021

Procure ser… compreensível…

Encontre sendo… compreensível…

 

“Onde quer que vá, vá com todo o seu coração.” Confucio

A Fé: Entrega Àquele que És.

borboletas-raras

“Não se pode percorrer o caminho, até que você se torne o próprio caminho.”

Desafiar as próprias crenças e descrenças… pode ser uma forma de investigar e acessar a sua verdade…”A dúvida é o preço da pureza”, a verdade está na impagável entrega a si mesmo…

E esta entrega, é ao mesmo tempo um vislumbrar-se, um processo de despertar… ao olhar e ver, pode discernir o verdadeiro do falso, desvelar o que antes era uma ilusória certeza… 

Talvez, não seja com certeza, mas sem dúvida…

Até ser de fé… Até caminhar em estado de fé… Não faz sentido crer inquestionavelmente… Mas entregar-se sinceramente… O que acaba por revelar o sentido de ser leal, fiel… Eleva-nos a confiar essencialmente no fluxo da vida…

A existência mostra-se dura, duramente frágil… mostra-se oculta ao revelado…  Em si habita o mistério inesgotável… Entre, é Aberto, Entreaberto…

 

“Confiança não significa que tudo vai dar certo. Confiança significa que tudo já está certo.” Osho

Conto Zen: O Arqueiro e o Alvo

No Japão, um professor alemão, Herrigel, estava aprendendo a arte do arco e flecha com um mestre Zen. Ele se tornou perfeito, 100% perfeito, não errava nenhum alvo.

Naturalmente, ele disse ao mestre: “Agora o que resta aprender aqui? Posso ir embora agora?”.

O mestre respondeu: “Você pode ir, mas não aprendeu nem o bê-á-bá da minha arte”.

Herrigel disse: “O bê-á-bá da sua arte? Mas eu sempre acerto o alvo!”.

O mestre replicou: “Quem está falando em alvo? Qualquer tolo pode fazer isso, basta praticar. Isso não tem nada de mais; agora é que começa a verdade. Quando o arqueiro pega o arco e a flecha e mira o alvo, há três coisas aí: uma é o arqueiro, o mais fundamental e básico, a fonte, a essência; depois há a flecha, o que passará do arqueiro para o alvo; e depois há o “olho do touro”, o alvo, o ponto mais distante. Se você acertou o alvo, atingiu o mais distante, tocou na periferia.

Você precisa tocar na fonte; você se tornou tecnicamente um especialista em atingir o alvo; mas, se estiver tentando penetrar nas águas mais profundas isso não é muito. Você é um especialista, é uma pessoa de conhecimento, mas não de sabedoria. A flecha se movimenta a partir de você, mas você não sabe de que fonte vem a energia que a movimenta, com qual energia. Como ela se movimenta? Quem a está movimentando? Você não sabe isso, não conhece o arqueiro.

Você praticou o arco-e-flecha, o alvo você acertou, sua pontaria foi 100% perfeita, você se tornou eficiente com um nível de perfeição de 100%, mas isso se refere ao alvo. E você? E o arqueiro? Alguma coisa aconteceu no arqueiro? Sua consciência mudou um pouco? Não, nada mudou. Você é um técnico e não um artista.

Você vê as flores de uma árvore, mas esse não é o conhecimento real, a menos que você penetre fundo e conheça as raízes. As flores dependem das raízes; elas nada mais são do que a expressão da essência das raízes. As raízes estão carregando a poesia, a fonte, a seiva que se tornarão as flores, que se tornarão os frutos, que se tornarão as folhas. E, se você contar continuamente somente com as flores, os frutos e as flores e nunca penetrar na escuridão da terra, nunca entenderá a árvore, pois a árvore está nas raízes.”

 

Fonte: AUM MAGIC

NOW destiNOW

IMG_20180517_134839

sincronicidade

agora em silêncio

o si na cidade

 

Encontro-me aqui, encontro agora.

 

* Foto: “Encontro Sincrônico” em 17/05/2018.

 

De fé, conhece-te.

Imagem relacionada

há um silêncio audível…

há um espaço inexplorado…

há um universo desconhecido…

há um mistério a ser revelado…

 

Autoconhecimento é sair do piloto Automático… e Reaprender ao Pilotar-se…

Entrar em Si, em Sintonia… Ver a Verdade, Verá Verdades… ao Fechar os olhos e Abrir-se à Visão…

“Da minha Aldeia” – por Alberto Caeiro

Fernando Pessoa

“Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver no Universo…

Por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer

Porque eu sou do tamanho do que vejo

E não do tamanho da minha altura…

 

Nas cidades a vida é mais pequena

Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.

Na cidade as grandes casas fecham a vista à chave,

Escondem o horizonte, empurram o nosso olhar para longe de todo o céu,

Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar,

E tornam-nos pobres porque a nossa única riqueza é ver.”

 

Fonte: FPessoa.com.ar – Site maravilhoso, dedicado a Fernando Pessoa, com uma extensa coletânea de poesias, fotos, cartas, etc.

“Saiba o que é a depressão endógena”

Indico aos amig@s, interessados no assunto. o link do MonicaVoxBlog com o artigo na íntegra.

Resultado de imagem para imagens sobre depressão

“A depressão endógena é um transtorno do estado de ânimo que se caracteriza por uma tristeza, desesperança e apatia acentuadas. No entanto, a causa da depressão endógena difere daquela da depressão reativa. Nesta, não existe uma situação externa desencadeadora, ela se deve a fatores internos ou psicobiológicos.

Ela é causada por uma alteração ou mudança estrutural na bioquímica cerebral; por outro lado, na depressão reativa existe uma relação evidente entre a situação desencadeante e o começo do transtorno, sendo o motivo desencadeante o núcleo central da depressão.

A falta de causas externas identificáveis pode dificultar a compreensão da doença por parte das pessoas próximas daquele que sofre e da própria pessoa doente. Um desequilíbrio na química do nosso cérebro é suficiente para nos mergulhar em uma profunda tristeza, que nem nós mesmos entendemos, mas da qual não podemos escapar sem ajuda.”

Visão Pessoal de Monica Vox:

“Quase duas décadas depois do lançamento, em 1987, do Prozac, antidepressivo revolucionário para a época que virou febre nos anos 90, os pesquisadores da área estão agora interessados em investigar outra questão: as causas do bem-estar, da serenidade e, em última instância, da felicidade. E eles procuram respostas tanto em pacientes com depressão quanto em pessoas sem distúrbio psiquiátrico algum.

Todos estamos expostos a adversidades, mas por que uns conseguem lidar tão bem com elas e outros sucumbem? Mês passado, o assunto foi debatido em um simpósio no Hospital das Clínicas em São Paulo, que reuniu pesquisadores de vários países. Quando chegarem a resultados mais conclusivos, isso pode significar tratamentos mais eficazes para deprimidos crônicos e também o conhecimento de novas fontes de bem-estar para todos. Os antidepressivos evoluíram muito, mas não se sabe ainda exatamente como funcionam.

Quando o Prozac chegou havia os chamados tricíclicos e os inibidores da monoaminoxidase (IMAOs), que até eram eficazes, mas apresentavam efeitos colaterais severos, como diminuição de libido, ganho de peso, constipação intestinal e outros. Chamada “pílula da felicidade” na época de seu lançamento, o Prozac revolucionou ao agir pontualmente em um neurotransmissor cerebral, a serotonina, e ao reduzir esses incômodos.

Depois dele, surgiram os antidepressivos atípicos, que atuam na serotonina e na noradrenalina ou em outros neurotransmissores envolvidos na sensação de bem-estar. Mas não é apenas a oferta dessas substâncias no cérebro que combate a depressão. Esta é a primeira alteração bioquímica provocada por um antidepressivo. Há outros efeitos que só surgem após duas semanas. O organismo precisa de um tempo para se adaptar.

Nesse período, ocorre uma série de processos que não sabemos exatamente quais são; Só quando isso for totalmente desvendado é que se terá um remédio de fato eficaz e que funcione para todos os pacientes que possuem depressão bioquímica crônica-mesmo assim, existem alternativas sem remédios… Antidepressivo não é remédio para quem está triste. Em primeiro lugar, como o próprio nome diz, é um medicamento para quem tem depressão, doença que, segundo estimativa da Organização Mundial de Saúde (OMS), atinge mais de 120 milhões de pessoas no mundo – a maioria mulheres, que são afetadas em uma proporção de três para cada homem. Os sintomas são apatia, alterações no apetite e no sono, sentimento de desvalia, falta de esperança e outros. Se aparecem isolados, não caracterizam a doença, mas, se surgem em conjunto e persistem, podem levar ao diagnóstico. Ainda que o antidepressivo fosse a “pílula da felicidade” liberada para todos, como demora duas semanas para agir, não adiantaria nada tomar um comprimido só naquele dia em que se está triste ou desanimado.

O remédio não vai fazer a mágica de trazer alegria ou disposição imediata. Este é o efeito de substâncias euforizantes, como a cafeína ou drogas do tipo da cocaína, que causam dependência, ao contrário dos antidepressivos. Só o psiquiatra competente e atualizado deve receitar antidepressivo. O avanço que veio com a descoberta desse tipo de medicamento foi colocar a depressão e certos transtornos psiquiátricos no mesmo patamar de outras doenças controláveis, como diabetes e hipertensão. O lado bom é que quem tinha o problema pôde passar a se tratar adequadamente. Isso ajudou até a reduzir preconceitos.Havia, e ainda há um pouco hoje, uma cultura de que a pessoa deprimida é irresponsável e preguiçosa, quando esses são os sintomas da doença.

O lado ruim é que muita gente saudável passou a tomar antidepressivo por conta própria, situação agravada com o surgimento de um “mercado negro” na internet, onde é possível comprar qualquer remédio sem receita. E há ainda quem tome com prescrição médica, mas de maneira inadequada. Em um ano, entre meados de 2003 e 2004, foram consumidos 400 milhões de comprimidos de antidepressivos no país. Boa parte foi receitada por médicos de outras especialidades, como clínicos gerais e ginecologistas, o que pode levar ao risco de superdosagem e à piora de outros quadros psiquiátricos não diagnosticados.

Rir e fazer sexo estimulam a produção de serotonina e dão bem-estar, como fazem alguns antidepressivos; Para algumas pessoas, a sensação de bem-estar é algo mais difícil de conquistar e manter a sensação de bem-estar e felicidade exige persistência. Em outras palavras, depois de iniciado o tratamento, o paciente de depressão fica viciado. Ganho de peso é um dos motivos que mais provocam abandono do tratamento. De 70% a 80% dos remédios psiquiátricos engordam- Pior: via de regra, os efeitos colaterais de um antidepressivo diminuem com o tempo de uso, mas o ganho de peso costuma persistir e muitos pacientes desistem em favor da boa forma. Não só por isso, mas também por conta da grande preocupação com a obesidade, mal que atinge 11% dos brasileiros adultos, combater esse efeito é um dos maiores desafios no tratamento.

Há outras fontes de felicidade além dos antidepressivos e elas são indicadas para todos. Se praticadas regularmente, algumas atividades, estimulam a produção de serotonina, o mesmo neurotransmissor sobre o qual o Prozac e outros antidepressivos agem e que faz as pessoas se sentirem tranquilas, dispostas e felizes. Conforme avançarem as atuais pesquisas, será possível saber mais – e com mais certeza – sobre o que causa ou não bem-estar. Por enquanto, o que se tem são boas pistas aqui e ali.

Um estudo da Universidade de Miami, por exemplo, levanta provas em favor da atividade física. Comparou-se a reação de pessoas que se exercitavam com regularidade com a de sedentários frente a uma situação tensa – como o momento em que recebiam a notícia de que eram HIV positivo.

Os sedentários pararam imediatamente de multiplicar as células de defesa, ao passo que os que se mantinham ativos conseguiram manter o sistema imunológico protegido e ficaram menos amedrontados e desesperados com a situação….. Voltaremos ao assunto em breve com um estudo sobre as “drogas da felicidade”…. aguardem.”

Se encontrar teu Mestre no caminho, dê adeus.

amar é um trocadilho…

o disparo, projétil e gatilho

amor te amo – a morte amo

quem morre para sermos eternamente vivos?

algo em nós caí e se desfaz…

algo além de nós eleva-se e é o que é….

metaforicaMente, metafisicaMente…

Gautama morreu, Buda viveu…

Jesus morreu, Cristo viveu…

contradição (?) paradoxo (?) trocadilho…

quando nada faz sentido, nada é…

quando tudo e nada fazem sentido, todo é…

 

* Explicação de Osho sobre a metáfora: “Se encontrar Buda no caminho, mate-o”

 

* Postado originalmente em 17/05/2017.

Centro Aberto

Ver a imagem de origem

Ir de encontro ao outro… sem sair de si… é o caminho…

Revele o segredo em Si

judas

 

A corda se rompeu
E ele despertou…
Judas se arrependeu
Foi perdoado, se perdoou…

Voltou e levou a outros a boa nova
Feito o mistério da supernova.
O medo se perdeu…
Em seu único sentido: paralisar.

O amor vence…
Em todos os sentidos: vence-dor.
É pairar… ao atravessar em si a escuridão.

 

* Postado originalmente em 17/05/2016.