Um Sol Coração

Onde a vida está? Onde tu és?

EsvaziAndo o Casulo

Tenho três notícias para compartilhar contigo. Uma refere-se ao passado, outra ao futuro, e a essencial é referente ao agora:

A primeira notícia é que… está morta a lagarta.

A segunda… está viva a borboleta.

A terceira é… que esta metamorfose, diz respeito ao ser que eu sou…

“Experiência única” – Jean-Yves Leloup

giphy-downsized

“Esta experiência é única.

Nela ocorre algo que nunca poderemos esquecer e que não poderemos também explicar.

Em um itinerário espiritual, deve-se fazer desta experiência uma oportunidade de iniciação.

Não a considerar como algo que jamais se reproduzirá ou como uma graça maravilhosa que queremos que se repita a todo instante.

Porque esta experiência é uma revelação de nossa natureza verdadeira.

São momentos em que, efetivamente, a paz dura um pouco mais e onde, no interior de nossa mente, o silêncio torna-se algo real.

É preciso acolher estes momentos gratificantes com gratidão, mas, ao mesmo tempo, não se apegar a eles e não os procurar.

Porque, se nós nos apegamos a estes momentos, se quisermos reencontrá-los sem cessar, em lugar de nos ajudarem a avançar, eles nos param, nos bloqueiam, fazendo-nos entrar em uma espécie de complacência com eles.

A vida, porém, é uma grande mestra e se encarrega de tirar nossas ilusões.

E o sinal de que a experiência luminosa realmente nos tocou é que não podemos mais viver da mesma maneira que antes.

Porque podemos ter tido experiências maravilhosas e magníficas, mas concretamente, em que elas mudaram as nossas vidas? O que mudou em nossa vida cotidiana? Dessa maneira, podemos ter necessidade de uma prática, de um método em nosso itinerário.

Ao final de um itinerário espiritual não sobra muito da imagem que se tinha de si mesmo no início do processo. É como se houvesse uma morte de si mesmo.

Mas esta morte não é o fim.

O que alguns chamam de morte da lagarta, outros chamam de nascimento da borboleta.”

Jean-Yves Leloup em Terapeutas do Deserto

Pairando, repouso.

Sahara desert, Sand dunes, Sunset, 5K

“Que meu corpo permaneça à escuta dos ensinamentos de minha alma.

Que minha alma permaneça à escuta dos ensinamentos da minha consciência.

E que a minha consciência permaneça à escuta do Espírito Santo.

Que o mundo da pulsão se submeta ao mundo da alma, da psique.

Que a psique seja iluminada, apaziguada, pelo espírito.

Que este espírito permaneça em comunhão com a Fonte de tudo o que vive e respira. “

Jean-Yves Leloup

Matriz e Força motriz em Si

Imagem relacionada

Que o nosso gavião… Dê fim a cobra que habita em nós…

O ser fiel e alado… Voa alto e livremente… Por vencer o duelo com o ser desleal e rastejante, diariamente, a todo instante…

A existência não resume-se a “matar um leão por dia”, mas a salvar a sua integridade… todo dia…