Mestre Zen: Takuan Soho

“Sentindo a morte próxima, pediu aos seus discípulos: “Sepultem o meu corpo na montanha atrás do templo, cubram-no de terra e vão para casa. Não recitem sutras, não façam ritos. Não recebam presentes de monges nem de leigos. Que os monges se cubram com as mesmas vestes, comam as mesmas refeições e façam tudo como nos dias comuns.” No último instante, ele escreveu o ideograma chinês yume (“sonho”), pôs o pincel sobre a mesa e expirou.

“Se tu seguires o mundo presente darás as costas ao Caminho; se não queres dar as costas ao Caminho, não sigas o mundo.”