Um Sol Coração

Onde a vida está? Onde tu és?

Tag: mensageiro

Afável Inefável

“Apenas os pequenos segredos precisam ser guardados, os grandes ninguém acredita.” H. Marshall

Imagem relacionada

Na sombra, ao fundo… sobrevoa uma borboleta dourada e negra.

Na luz, em aberto… a borboleta ouro repousa em reverência.

 

Gratidão… Sentir-se repleto por entregar-se a doação…

PereneMente Atual

Imagem relacionada

hoje, conheci um senhor

antigo, não sei de que idade

fala, em silêncio, sobre…

verdade, amor e liberdade

paz, tolerância e fraternidade

calma, sabedoria e igualdade

hoje, conheci uma senhora

esposa leal e fiel ao senhor

eles geraram um filho por amor

eles lembram que encontraram uma relíquia dourada

com um elixir misterioso numa profunda taça

seria a fonte da juventude, aquele cálice cheio de graça?

hoje, conheci a profunda experiência daquele senhor e senhora…

eis a inominável antiga, perenemente atual presença…

Imagem relacionada

 

Princípio Será Fim

Imagem relacionada

ser

ser afim

serafins

Imagem relacionada

“Um dos serafins voou para mim segurando, com uma tenaz, uma brasa tirada do altar. Com ela tocou meus lábios dizendo: Agora que isto tocou os teus lábios tua culpa está sendo tirada, teu pecado, perdoado.” Livro de Isaías

Por uma vida, una vidas.

Imagem relacionada

Por vezes a vida (unicamente múltipla que só ela)…

Pontua, põe ponto final… Ou seria ponto e vírgula?

Com ela faço rascunhos, interpretações, exclamações, reticências…

Mas cedo ou tarde retorno às interrogações e à fonte criativa.

No prefácio, parece rápido, fácil…

Porém, o sumário é sumério, segredos do mistério…

Onde termina o princípio?

Qual é o meio?

Aonde começa o fim?

E assim, capítulos rolam, uns enrolam outros desenrolam…

Figuras, personagens, riscos, teorias… Citações, traduções, justificativas ocupam longos parágrafos…

Apesar das leituras e releituras… há letras, linhas, entrelinhas, significados… sentidos que permanecem codificados em aberto espaço…

Palavras erradas, não escritas, mal entendidas, revisadas, nem sempre, quase nunca compreendidas…

Páginas e mais páginas difíceis de serem enumeradas… mas ainda assim escritas…

E a capa dura, mesmo que não ceda, envelhece e há de se dobrar ou cair naquele dia…

O livro, dura o tempo que durar… Simplesmente por cumprir o seu papel de mensageiro da vida…

De repente num tao não-lugar há de se completar histórias…  A causa e-feito poesia… A página em branco comunica além das palavras… encerra o princípio em si… 

 

* Texto revisado, publicado originalmente em 23/04/2014.

Conto: Dialogando com o Silêncio

desertos-africanos-saara-nubia-e-libia-6

Decepcionado, o amigo escreveu:

“O silêncio foi a melhor coisa que aprendi contigo.”

A voz ouvinte, respondeu:

“Escrever dá vazão a este silêncio…”

 

* Trechos do dialogo entre eu e um grande amigo.

Uma vida por vez

galapagos_hawk__fernandina_island__galapagos_islands__ecuador

por vezes a vida…

põe uma vírgula, noutras ponto final.

ponho vírgula, a exclamação e,

retomo a interrogação.

e no prefácio, parece rápido, fácil…

e o sumário, é sumério, mistério…

onde termina o princípio?

aonde começa o fim?

e assim, capítulos rolam,

enozam, desenrolam…

imagens, citações, traduções…

letras, linhas, espaçamentos…

palavras revisadas, páginas enumeradas…

e a capa dura, envelhece, não cede…

e o livro, dura o tempo que durar…

simplesmente por cumprir,

o seu papel de mensageiro.