Um Sol Coração

Onde a vida está? Onde tu és?

Tag: nirvana

Sol o Sou

“O amor é quando a gente mora um no outro.” Mário Quintana

Resultado de imagem para a ponte mistica

a noite cria

o dia realiza

o sonho da vida

 

Amor é o caminho a ser amado. Amar é o caminho do ser amado.

“Creio na nudez da minha vida.” Sophia de Mello Breyner Andresen

Ainda sobre o caminho.

“Viva neste momento. 
O céu estrelado está ali – 
Onde mais você pode estar?”
Myochi

Resultado de imagem para zen shunryu suzuki

Suzuki assinala que “o nirvana deve ser buscado no seio do samsara”. A transcendência para a vacuidade deve acontecer no centro da vida do mundo. Na visão de um dos grandes reformadores da tradição budista japonesa, o mestre Dogen (1200-1253), “aprender a via do Buda é aprender a si mesmo; aprender a si mesmo é esquecer-se de si mesmo; esquecer-se de si mesmo é ser despertado por todas as coisas”.

“O grande Caminho não tem portais: existem milhares de maneiras diferentes.”

“Separados por uma eternidade, e nem um só instante distantes; face a face o dia todo, e jamais vizinhos um só instante.” Daito Kokushi

“Originalmente não 
há poeira para varrer: 
a mente da pessoa 
que segura a vassoura é 
exatamente como a sujeira.”
Ditado Zen

“Arte de Morrer” – Despedida

(…) “Cito abaixo alguns trechos das palavras de despedida de Buda.

Imagem relacionada

A mente desonesta é incompatível com o Caminho.  Por esta razão  devem cultivar a honestidade.

A pessoa de muitos desejos, que procura grandiosidade apenas para si mesma, sofre muito.

Uma pessoa de poucos desejos  não manipula a mente dos outros através da desonestidade. A mente de quem tem poucos desejos é tranquila e sem preocupações.

Para se libertar de todo o sofrimento é preciso conhecer o contentamento.  O contentamento é a condição da prosperidade e do bem estar.

Sintam prazer na quietude e na tranquilidade. As pessoas ávidas por companhia sofrem dificuldades por excesso de companhia, assim como uma árvore corre o risco de murchar se muitos pássaros viverem nela.

Mantenham o esforço correto, a diligência, assim como o constante gotejar da água fura uma rocha.

Não percam a atenção correta ao procurar por um mestre ou um amigo.  Se perderem a atenção correta, as paixões poderão entrar e perderão todos os méritos.

A mente devem estar concentrada, capaz de compreender o surgir e o desaparecer de todas as coisas no mundo.

Se tiverem sabedoria não terão ganância.  Se possuírem o brilho da sabedoria poderão ver claramente, com seus próprios olhos.

Se quiserem obter a benção de Nirvana (paz), devem extinguir o mal de falar à toa.  Não se engajem de forma leviana em conversas inúteis.

Este é o ensinamento final.

Não se lamentem.  Não existe encontro sem despedida.

Façam da Verdade o seu mestre e eu viverei para sempre.

 

Hoje (15 de fevereiro), ao celebrar o Parinirvana de Buda deixo a vocês as seguintes questões:

Se você soubesse que iria morrer em algumas horas, estivesse em plena lucidez e cercada/cercado de seus filhos, netos, amigos, alunos, discípulos, parentes, pessoas amadas, colaboradores, o que diria a eles?

Qual é o seu ensinamento final?

Qual a mensagem de sua vida?

Reflita em si mesmo.

 

Meu ensinamento final:

Entregue-se a vida. Aceite a vida.

E aceite a sua vida entregando-se a mudança.

Aceite a mudança. A mudança é vida.

A mensagem da minha vida:

Mais importante do que continuar até o fim, é recomeçar quantas vezes for preciso. E assim, dar fim, renovando em si o princípio.

AnowA (03/04/2019, quarta-feira, às 17:52)

 

* Trecho do texto Arte de morrer – Budismo – Zen budismo por Monja Coen.

Conto Zen: Onde Começa o Caminho?

Imagem relacionada

Um dia, um discípulo foi ao mestre Kian-fang e perguntou-lhe:

“Todas as direções levam ao caminho de Buddha, mas apenas uma conduz ao Nirvana. Por favor, mestre, diga-me onde começa este Caminho?”

O velho mestre fez um risco no chão com seu bastão e disse: “Aqui”.

Entrar em Alfa… Theta… Delta…

Entrar em Alfa é entrar em estado de profundidade mental, de relaxamento e concentração, de atenção plena e meditação. É através do relaxamento profundo, do equilíbrio e paz interior, que se entra em nível Alfa.

Comumente existem quatro níveis de ondas cerebrais, quatro estados de espírito, estados de consciência: nível Beta (vigília, normal), nível Alfa (concentrado e relax), nível Theta (relax profundo e criatividade) e nível Delta (mente universal e cura). Mas fala-se também em um quinto nível, o Gamma, que é ainda mais sutil, onde se origina o insight.

Este conhecimento/sabedoria não é novo, no oriente, nas antigas religiões e tradições espirituais, nas escolas de mistérios e tribos ancestrais, sempre se ensinaram a desenvolver estes estados alterados de consciência, por meio de diferentes práticas e métodos. Os nomes para estes estados elevados e para o tal “despertar”, também variam em cada cultura, época e tradição.

Por exemplo, para os hindus, Samadhi (“ser um com a meta”), tornar-se um com Deus dentro de nós. É o Nirvana de Buda, o Satori do Zen, a União Mística (Eu Sou) de Jesus Cristo, o Poder do Agora de Eckhart Tolle, tem relação com o Tao de Lao Tsé, com o Logos de Heráclito, o êxtase espiritual, experiencia de platô, o arrebatamento, a iluminação, etc.

O despertar é a religação, realizar a comunhão, a conexão com o ser interior, o repouso no espírito. É elevar, expandir a consciência, abrir as portas da percepção, despertar para a alma, despertar para o eu superior, estar plenamente em Si… é ter visão, enxergar com o terceiro olho… “Eu e o Pai somos Um.”

“A Consciência Suprema está dentro de você assim como a manteiga existe no leite; bata a sua mente com o processo de meditação, e Ela surgirá – você verá que a resplandecência da Consciência Suprema ilumina todo o seu Ser interior. Ela é como um rio subterrâneo dentro de você. Remova as areias da mente e encontrará a água fresca e límpida do interior”. Shrii Shrii Anandamurti

É tempo de Despertar… e mergulhar na expansão de Si além de ti… somos o caminhante, o caminhar e o caminho… o que É está em nós, somos todos UmTodo…

Sem pressa, sem demora, em equilíbrio… com coragem e confiança, compassivo… é estar em si, no aqui-agora, em todo lugar, a qualquer instante… é um processo de transformação, testemunhar, observar e transformar-se. É uma mudança de hábitos, a metAMORfose… o tal autoconhecimento… se aperfeiçoar, curar-se… agir com plena atenção para reduzir a inconsciente reação… descobrir-se e seguir o teu próprio caminho, teu coração, sua vocação, sua criança, a chama interior… revelar a tua essência em sua própria realidade… é mudar o mundo ao mudar a sua realidade intimamente pessoal… esvaziar a mente e acolher o coração… se abrir, receber e trocar, vivenciar sozinho e no convívio… crescer, amadurecer no envelhecer… ser, rejuvenescer ao encontra-se no mistério revelado que é o viver…

“Sorria, respire e vá devagar. Os sentimentos são como nuvens num céu ventoso. A respiração consciente é minha âncora.” Thich Nhat Hanh