Um Sol Coração

Onde a vida está? Onde tu és?

Tag: o rio

“Verso Zen”

norway

Antes de entendermos o Zen, as montanhas são montanhas e os rios são rios;

Ao nos esforçarmos para entender o Zen, as montanhas deixam de ser montanhas e os rios deixam de ser rios;

Quando finalmente entendemos o Zen, as montanhas voltam a ser montanhas e os rios voltam a ser rios.

“Os rios que eu encontro,
Vão seguindo comigo…
As montanhas que eu subo,
Quando meus pés trilham descalços,
Sempre me deixam por um fio em seus percalços…

Mas os homens não percebem essa Linguagem,
Por ela não ser linguagem nenhuma…” MonicaVox [maio/2017]

Viva a linguagem nenhuma… que é toda comunicação…

Volte e meia recomece…

Resultado de imagem para rio que não cessa

Quando a vida bater forte e a sua alma sangrar
Quando esse mundo pesado lhe ferir, lhe esmagar
É hora do recomeço, recomece a lutar

Quando o mal for evidente e o amor se ocultar
Quando o peito for vazio e o abraço faltar
É hora do recomeço, recomece a amar

Quando tudo for escuro e nada iluminar
Quando tudo for incerto e você só duvidar
É hora do recomeço, recomece a acreditar

Quando você cair e ninguém lhe amparar
Quando a força do que é ruim conseguir lhe derrubar
É hora do recomeço, recomece a levantar

É preciso um final pra poder recomeçar
Como é preciso cair pra poder se levantar
Nem sempre engatar a ré significa voltar

Remarque aquele encontro, reconquiste um amor
Reúna quem lhe quer bem, reconforte um sofredor
Reanime quem tá triste e reaprenda na dor

Recomece! Se refaça! Relembre o que foi bom
Reconstrua cada sonho, redescubra algum dom
Reaprenda quando errar, rebole quando dançar

E se um dia lá na frente, a vida der uma ré
Recupere a sua fé e recomece novamente.

 

* Letra da canção “Recomece”, por Bráulio Bessa.

Espaço aberto. Agora eterno.

Vista refrescante do vulcão… Lava… Lava a alma… No fluxo revigorante do coração…

 

No alto da montanha, suspenso no ar.

Na profundeza do vulcão, silêncio no ar.

A travessia em si é o caminho.

Não apegue-se ao sofrimento, deixe ele vir a tona e transborda-se… Ele é o véu que encobre os nossos segredos…

Tome coragem, tome conhecimento para vir a tomar consciência… O sofrimento guardado, mesmo lá no fundo, nos consome profundamente e nada ensina… Não aprendemos com aquilo que negamos, rejeitamos… Aprendemos com aquilo e com aquele que reconhecemos…

Só haverá cura se eu me reconhecer enfermo… Só há outro lugar para ir se eu reconhecer o lugar em que estou… Conhecer a natureza do sofrimento, é o caminho do aprendizado, é autodescoberta, autoconhecimento e é tornar fértil o jardim da autorrealização…

Imagem relacionada

Quando se procura, inicia a cura… 

Iniciamos o aprendizado quando cansamos do sofrimento…

Quando decidimos não mais ignorar ou suportar nosso sofrimento…

Quando escolhemos reconhecê-lo, aceitá-lo, assumi-lo, tomar conhecimento das causas, dos traumas, dos segredos e dos maus hábitos…

Quando procuramos pela cura… Quando pedimos e aceitamos ajuda…

Quando buscamos cuidar de nós mesmos, por falta de opção, por intuição e corajosa decisão, por respeito e propósito, por amor e consciência…

Claro que é difícil, duvidoso, moroso, doloroso transformar o sofrimento em autoconhecimento, saúde e qualidade de vida, alcançar uma certa paz e a consciência limpa…

Mas o sacrifício, a vontade e esforço legítimo, o sagrado ofício de se transformar num são ser… humano… é a via para retornar ao lar que és tu em si… é a entrada-saída para o caminho da paz interior… é o propósito-desafio da vida… perpetuar o que é são e vivo, por meio da constante e contínua transformação, evolução…

As travessias ensinam sobre o caminho consciencial… que é realizado sob nossos pés… além da mente, aqui no agora com a fé no coração…

Todo dia é oportunidade para aprender… Toda noite é oportunidade para desaprender… Todos os dias, um de cada vez… desapegar, discernir e rejuvenescer…

Gratidão… Graças a Gratidão…

Encontrar o caminho sem esforço

A água suja é melhor clareada ao deixá-la quieta.” Alan Watts

Resultado de imagem para rio flui

“A busca da felicidade é uma das principais fontes de infelicidade.” Eric Hoffer

“A resistência à situação desagradável é a raiz do sofrimento.” Ram Dass

“Para que as coisas se revelem a nós, precisamos estar prontos para abandonar nossos pontos de vista sobre elas.” Thích Nhat Hanh

“Se você não consegue encontrar a verdade exatamente onde está, onde mais você espera encontrá-la?” Dogen

“O sentido da vida é apenas estar vivo. É tão óbvio e tão simples. Ainda assim, todos ficam em pânico como se fosse necessário alcançar algo além de si mesmos.” Alan Watts

“A vida não é tão séria quanto a mente faz parecer.” Eckhart Tolle

“Quando quero dançar, eu danço. Eu não me importo se ninguém mais está dançando ou se todos estão rindo de mim. Eu danço.” Rachel Danson

“Um seguidor do caminho não tem forma nem contorno, nem raiz nem tronco; nem lugar de habitação; como um peixe pulando na água.” Provérbio Rinzai Zen

“Não posso lhe contar nenhuma verdade espiritual que você já não conheça. Tudo que posso fazer é lembrá-lo daquilo que esqueceu.” Eckhart Tolle

“Todo ser está em busca da verdade, mas pequenos medos continuam lhe impedindo.”  Osho

“Todos os verdadeiros artistas, eles sabendo ou não, criam de um lugar onde não há mente, de uma quietude interior.” Eckhart Tolle

“Eu vivi com vários Mestres Zen – todos eles gatos.” Eckhart Tolle

 

Fonte: Awebic.com

“A vida como um rio”

Como é… Como são… Como é são…

“A água do rio flui sempre, sem cessar. Flui rápida, não para um só instante e se vai. Seu murmúrio evoca em mim o eco do tempo.

A água do tempo brilha no leito do Universo, sempre correndo, fluindo. Pedras, árvores, casas e cidades também fluem vagarosamente nesta correnteza, assim como os pensamentos, as civilizações, nossas vidas e as vidas de todos os seres. Tudo isso pode parecer imutável, mas na verdade essa ideia não passa de uma ilusão.

Apenas nós, seres humanos, acreditamos que tudo é imutável. Esforçamo-nos para não sermos levados pela correnteza, e lamentamo-nos por tudo que se vai. No entanto, mesmo sofrendo e desdobrando-nos por evitar, caindo sete vezes e nos levantando oito, não há como parar o fluir, que envolve também nossa dor e nossa luta.

Ao invés disso, é melhor ver as coisas como são e nos juntarmos a essa correnteza, com suavidade. Apenas assim poderemos encontrar prazer na fugacidade das coisas, uma vez que é justamente essa fugacidade que tece as mais diversas figuras na tapeçaria da vida.”

Shundo Aoyama Roshi (em “Para Uma Pessoa Bonita – Contos de Uma Mestra Zen”)

Tudo efêmero. Todo perene.

No rio da consciência, pedra e água em confluência…

Imagem relacionada

Tudo é passageiro.

Tudo é aprendizado.

E o que permanece?

Passageiro aprendizado.

Deixa vir. Deixa ir.

“A vida (o caminho) é como pisar num rio…”

Imagem relacionada

Gratidão pelas perdas.

Gratidão pelos ganhos.

Nada temos, um todo somos.

 

Legitimamente… Mutuamente…

A caminho do si mesmo.

A luz no fim do túnel… Estás em ti, és tu… 

Imagem relacionada

A experiência

Com ciência.

Caminho adentro

Rumo ao destino-agora:

Autoconsciência.

Imagem relacionada

O rio acaba inteiro… Em mar aberto…

Sou um todo… ao incluir o outro.

Aquilo que não liberto, me consome.

fluindo

A energia da vida, o rio do amor… tem uma legítima condição… passar espontaneamente livre, incondicionalmente… mas ao impedirmos que ele flua… que ele circule, que passe por nós, desfazendo os nós… o condicionamos e a ele nos apegamos, nos cegamos, inflamamos, viciamos e nos aprisionamos… mas o inocente selvagem… não pode ser trancafiado – não se pode parar o impermanente – não se pode deter e ficar para si o que não é seu por natureza… o amor, nascido para fluir, renascido para livre circular… renascente para passar adiante… é simplesmente uma fluida pureza no ar que se respira… que vivifica, que sustenta e transforma… tudo e todos em perpétua vida…

“Amar o todo,

o tempo todo.”

Todo tempo amor.

Em última instância, naquela estância maior… Mesmo incerto é preciso perdoar todos os atos e todos os outros… E assim, continuando a vir-a-ser contínuo… Um todo… O amor como um todo… Repleto-vazio em si…

 

* Diálogo poético com o querido blogueiro Mariel Fernandes. Publicado originalmente em setembro/2014.

* Imagem de satélite do golfo de Cambridge, Austrália.