Um Sol Coração

Onde a vida está? Onde tu és?

Tag: renascer

Coração a Coração

A tua estrela ilumina o caminho…

IMG_20191208_094119_786

momento a momento

a vida se refaz

e-terna.

 

* Foto: Eu, a minha filha cheia de graça… com aquele que em nós é laço infinito e renascente…

aprenDiz em Si

“Faça como o mestre fez, segue o seu caminho.”

Não seja o que o mestre diz.

Não seja o mestre que diz.

Seja… é o que o mestre diz.

 

“Jesus voltou…” quer dizer, o Cristo em Si despertou… A sua Consciência é o mestre interior.

Agora Afundo Avante

No fim, agora é o princípio.

Dryas julia

Paixão nasce.

Paixão morre.

Amor renasce.

Inove. Se renove.

Nume : Unem

A borboleta encontrou-se na roseira…

Resultado de imagem para roseira borboleta

num brotar, a metafísica

num florescer, a metáfora

num ser, a metamorfose

 

De volta ao jardim… interior…

 

Ama lama. Ama lótus.

“Sem lama não há lótus”

Resultado de imagem para flor lotus no coração

Lótus de Coração…

…Coração de Lótus

 

As águas impuras são matéria prima condutora de energia… E é preciso muita energia para elevar-se as alturas… É preciso apropriar-se e aprimorar-se para enfim desprender-se, exalar o perfume do desapego…

Ser renascente Ser

Borboletas conhecem o caminho, carregam em si o caminho… O caminho reconhece borboletas…

Resultado de imagem para borboleta 88

Borboleta 88

 

Não estamos sozinhos, talvez estamos meio “solzinhos”…

É preciso e precioso ensolarar… Ensolarar-se de vida…

 

A lagarta se desfaz no caminho… E no caminho se refaz borboleta…

Permita ser. Permitindo-se.

Perdoar é permitir que a sua vida volte a fluir livremente… É permitir-se retornar ao fluxo renascente da vida… É dar vida a sua vida… Renovadamente…

Resultado de imagem para pai mãe e filho autoconhecimento

Pai, eu te perdoo.

Pai, me perdoe.

Pai, eu me perdoo…

Mãe, eu te perdoo.

Mãe, me perdoe.

Mãe, eu me perdoo…

 

Com o fluir… Permitindo-se confluir…

O que nos assombra? O que nos ilumina?

“Abrace a sua sombra e traga ela pra vida. As vezes, no escuro se encontra a saída.”

Imagem relacionada

O que não está claro e tememos é o sombrio. O que está esquecido mas negamos, rejeitamos, abandonamos e mantemos escondido é sombrio. O que não queremos mostrar, o que impedimos de se revelar, o que negamos estar em nós, o que não se expressa é a nossa sombra que nos assombra… assombrando a realidade que se vivencia.

Pode ser uma dor sentida, uma dor ressentida – o sofrimento, pode ser uma memória ruim e o medo daquilo se repetir, um erro, um engano, uma decepção, um apego, um segredo não tão bonito, pensamentos ofensivos e opressivos, sentimentos egoicos, julgamentos injustos, preconceitos, justificativas e pode ser o que há de mais puro em nós, mas está obscuro, bloqueado por nós e nos deprimindo…

Todas as formas de velar-se, de aparentar o que não é, de fingir como está, de ocultar a luz do entendimento, a clareza do discernimento, todo modo de evitarmos, fugirmos ou bloquearmos a nossa sincera, legítima e espontânea expressão… não pacifica nosso mundo interior, não limpa a consciência, não estamos em sã consciência… somos o anti-herói da própria existência…

 

É preciso chorar.

É preciso botar pra fora… o que nos paralisa.

É preciso esvaziar-se do que provoca o nosso vazio existencial.

É preciso ouvir e ser ouvido, ver e ser visto.

É preciso se respeitar, se aceitar, assumir-se e acolher-se.

É preciso cuidar-se, amar-se, se refazer e se curar.

É preciso realizar as tais catarses e…

Unir-se àquilo que é em si… o vivo.

 

É insuportável viver repetindo-se e se consumindo pelo desamor e sofrimento… Reciclar-se e se renovar é a forma de manter-se sustentável no presente da plena presença… É tempo de aprender a crescer pelo amor e florescer na cura… Tempo de refazer as asas com as próprias penas… e encontrar-se nas alturas do céu aberto-coração…

Voa! Voa de volta pra vida…

Resultado de imagem para borboleta sai do casulo

Uma borboleta nasceu.

Uma lagarta morreu.

Em sua crisálida a metamorfose ocorreu.

O que era denso, diluiu, dissolveu.

O encoberto se despiu, reapareceu.

 

As borboletas deram sinais… É tempo de voar…

Segue as antenas como a borboleta faz…  

“Acordar do Coma”

A luz no fim do caminho é em si o princípio… circuLar…

Resultado de imagem para luz no fim do tunel

É preciso reconhecer o morrer… conhecer o nascer…

É preciso conhecer a morte… reconhecer a vida…

Viver é atravessar a morte em vida…

 

“E todo dia. Eu nasço, eu cresço, eu adoeço. Eu morro um pouco mais. Pra me trazer pra vida. E todo dia. Vai ser pra sempre um recomeço. Eu me deixei pra trás. Pra nascer na sua vida.” Acordar – Fresno