Um Sol Coração

Onde a vida está? Onde tu és?

Tag: René Magritte

OM sOMbra OM

É preciso (e nada preciso) aprender… É preciso (e nada preciso) perder, cair, desiludir-se…

Imagem relacionada

O escuro, desconhecido, incerto… O frio, apertado, rígido… O pesado, doído, sofrido… O feio, caótico, difícil… O distante, escondido, perdido… São o que nos impedem de sermos Sãos? São o que nos desafiam a vivermos com propósito e nos transformam em Sãos… enquanto a vida for o caminho da conscientização…

Imagem relacionada

Errar é o que não queremos, não admitimos, não aceitamos, não perdoamos, não iluminamos e vivemos assombrados, assombrando o caminho da autoconsciência…

Imagem relacionada

Nos enganam… Enganamos e… Nos enganamos… Inevitável aprendizado, discernir o que é do que não é…

Luz! Iluminar o que negamos… Luz! Iluminar o que rejeitamos… Luz! Iluminar o que abandonamos… Luz! Iluminar Aquilo… Que chamamos de nós mesmos… O laço contínuo…

Resgatar a pessoa humana… Resgatar-se na pessoa íntegra… Resgatar o ser no humano…

 

Não aponte. É a ponte…

Ao ponto… ponto de partida, ponto de encontro…

Construindo a ponte que leva… eleva ao ponto de mutação…

 

“Só o amor constrói pontes indestrutíveis.” Chorão

 

* Pintura: René Magritte. “The Pleasure Principle”, 1937.

Ponto de Encontro. Ponte para Casa.

pont_d'Heraclite,_1935

Não se constrói uma ponte com um pedaço de madeira ou concreto…

Mas com o coração inteiro… uma fé de indestrutível concreto…

E um pedaço de incerteza… na certeza do caminho de volta… ao lar em si-agora…

 

* Pintura de René Magritte. A ponte de Heráclito (1935)

Variável peso da Consciência

“Um bom sinal, um sinal de que não estamos fixos.” Jacques Prévert

As coisas tem pesos e medidas… medidas e pesos variáveis…

A caminhada longa, tantas vezes não pesa… nos deixa leve, levemente repletos…

E numa noite tão breve, por muito pouco a cabeça pesa… o peso do mundo…

 

“Pega no presente e pulsa o ritmo cadente de um músculo novo que nasce sem esforço porque se inventa como o vento e as marés.” João Negreiros – O Manual da Felicidade

 

* Pintura de René Magritte. Chateau des Pyrenées. 1959.